KATA GOJU-RYU

 

 

Um kata é um padrão de movimentos que contêm uma série lógica e prática de técnicas de bloquear e atacar. Em cada kata há certo jogo ou movimentos predeterminados que o estudante pode praticar sozinho. Os kata foram criados por mestres depois de muitos anos de pesquisa, treinamento, e experiência de combate real.  

As aplicações das técnicas dos kata evoluíram depois de testadas em combate real. Deste modo cada kata foi melhorado e refinado, e evoluiu no kata que nós praticamos hoje. Por causa do tempo e a evolução complexa do kata é impossível localizar o desenvolvimento exato que o kata sofreu, mas é conhecido que os antigos mestres estudaram as técnicas combativas e movimentos, observando as lutas de animais, animal contra homem, e homem contra homem. Eles também estudaram a fisiologia do corpo humano e sua relação para combater,  levando em conta vários fatores, como a circulação do sangue durante as vinte e quatro horas do dia, a vulnerabilidade dos pontos vitais em relação ao tempo, e outras leis cíclicas da natureza como a subida e o pôr-do-sol, e a elevação e a descida das marés. Todos estes elementos estão incorporados no kata.  

O propósito e o desenvolvimento do Kata também variou com o tempo e com as pessoas que os desenvolveram. Por exemplo, na China foi desenvolvido kata à mais de 1600 anos  e praticado com a finalidade de autodefesa, considerando que os monges budistas praticariam kata com a finalidade de fortalecer o espírito como também o corpo.  

O verdadeiro significado e espírito de Karatê estão inseridos no kata e só pela prática do kata poderemos entender. Por isto, se nós mudamos ou simplificamos o kata para ajudar o iniciante ou então para prática de torneios, nós teremos perdido também o verdadeiro significado e espírito do Karatê.  

No Karatê não se ataca primeiro. Todo kata começa com um movimento defensivo que exemplifica este espírito. Não só não se ataca primeiro, mas a melhor defesa é evitar a briga completamente.Por isso é que se diz que o Karatê é a arte do homem sábio.  

Para praticar o kata corretamente, todos movimentos devem ser repetidos inúmeras vezes. Só por repetição constante as técnicas se tornam ação reflexiva. Felizmente, um aspecto importante do kata é que se pode pratica-lo sozinho, a qualquer hora e em qualquer lugar. Quando o kata é executado por uma pessoa bem treinada, seu poder dinâmico e sua beleza de movimentos formam uma grande qualidade estética.  

Quase todos os kata Goju-ryu  foram passados pelo mestre Higaonna Kanryo Sensei. Higaonna Sensei estudou e  treinou por muitos anos com o mestre Ryu Ryuko Sensei na Província de Fukien, China. Os seguintes Kata foram passados por Higaonna Sensei vindos  de Ryu Ryuko Sensei: Sanchin, Saifa, Seiyunchin, Shisochin, Sanseru, Sepai, Kururunfa, Sesan, e Suparinpei. Os criadores originais destes kata são desconhecidos.

 

Sanchin: 

Sanchin quer dizer " Três batalhas ". O princípio subjacente é a batalha entre a mente, a alma e o corpo. Originalmente este kata foi ensinado por Sensei Higashionna com as mãos abertas (como ainda é praticado em Uechi Ryu). Higashionna  o mudou para mãos fechadas. O Sanchin de Miyagi Chojun Sensei preserva a essência do Sanchin de Higaonna Kanryo Sensei do qual é uma variação. Miyagi Sensei o desenvolveu para equilibrar o anterior. Seu desempenho requer um uso diferente dos músculos, conduzindo-o a um desenvolvimento mais simétrico. Isto é importante para um melhor funcionamento do corpo, e especialmente na prevenção de danos na parte de trás e outras áreas.Considera-se que o kata  Sanchin é o aspecto duro (Go), e Tensho representa o suave (ju) de Goju.   

 

Ten-sho: 

Tensho quer dizer  palmas  giratórias. Este kata vivente foi desenvolvido por Sensei  Miyagi baseado no kata Chinês Rokkishu. Rokkishu, que significa  6 Mãos , denota as diferentes posições das mãos neste kata. Um dos propósitos do kata Tensho é a concentração em pontos inconstantes ao se executar os movimentos de mãos suaves. Além disso, dentro destes movimentos de mãos suaves, um grande poder é gerado.

   

Geki-sai-dai-ichi: 

As traduções deste Kata podem ser demolir, destruir ". Os Gekisai Kata foram introduzidos no  Goju-Ryu por Miyagi Sensei para dar aos iniciantes nesta arte marcial uma primeira percepção. Eles foram desenvolvidos por volta de 1944. Este kata é chamado Shinsei em Shito-Ryu e Fukyu Kata Ni em Matsubayashi-Ryu.   

 

Geki-sai-dai-ni:  

Começa a incorporar tai-sabaki e padrões de bloqueio mais suaves ( Kake-uke).   

 

Sai-fa: 

Saifa traduz-se " esmagar, rasgar ". Saifa ajuda a promover o poder de chicoteamento gerado pelo movimento dos quadris em conjunto com movimentos suaves e duros dos braços. Saifa também ajuda a desenvolver o tai-sabaki e o equilíbrio. Ensinado como o primeiro kata de Heishu em muitas escolas de Goju-Ryu é de origem chinesa, trazido para Okinawa por Kanryo Higaonna.  

 

   

Sei-in-chin: 

Muitas traduções existem para o nome deste kata, mas " puxar para dentro e combater " parece o mais apropriado. Esta forma complexa não possui nenhum golpe de perna, e a maioria das técnicas de mãos são executadas em shiko-dachi. Mencionado como um dos 2 kata de treinamento do Goju-Ryu (junto com Seisan) por Meitoku Yagi, Seiunchin é ensinado como o kata da faixa marrom em muitas organizações de Goju-Ryu modernas.  

   

San-seru: 

Sanseru, escrito em chinês, é o número 36. Simbolicamente é calculado na forma de 6 X 6. O primeiro 6 representa olho, orelha, nariz, língua, corpo, e espírito. O segundo 6 simboliza cor, voz, gosto, cheiro, toque, e justiça.   Acredita-se que este kata foi ensinado por Aragaki Seisho antes de Kanryo Higashionna fazer sua viagem  para a China. Ryuei-Ryu também pratica Sanseru,  sendo bem parecido com a versão do Goju-ryu.   

    

Sesan: 

Traduz-se pelo número 13. É praticado por muitos estilos Okinawenses (Shuri e Naha). Acredita-se ser um dos kata mais antigos em Okinawa, este kata acentua o fundamento de várias técnicas de chutes. Conhecido como um dos 2 kata de treinamento do Goju-Ryu por Meitoku Yagi, este Kata começa como o Kata Sanchin, e contém técnicas destinadas a dominar a linha de centro do oponente, e também vários chutes baixos. Estranhamente, muitas organizações de Goju-Ryu atuais incluem este Kata no fim do currículo.

 

Shisochin:

Quer dizer "batalha em quatro direções". é de origem chinesa, ensinada a Kanryo Higaonna por Ryu Ryuku. É dito que é um do katas favoritos de Chojun Miyagi, bem adaptado ao seu corpo.

 

Sepai:

Sepai traduz-se pelo número 18. É calculado na forma de 6 X 3. O 6 aqui é o segundo 6 de Sanseru. O 3 representa o bem, o mal, e a paz.Contém muitas técnicas escondidas que servem para confundir o oponente durante a luta. Sepai é a continuação do Kata Seisan.

 

Kururunfa:

Este kata avançado foi trazido da China, caracterizado por Tai Sabaki, manobras evasivas, e muitos movimentos enérgicos. Kata original de Ryu Ru Ko Sensei lhe foi ensinado em Fuzchou na Província de Fukien, China, e foi passado para Kanryo Higaonna Sensei e mais tarde para Chojun Miyagi. O criador original deste Kata é desconhecido.  

O seu significado é:  

1. dezessete  

2. ficou firme.  

3. Ku (longo), ru (segure), run (súbito), fa (fratura)    

4. "Sempre parado"

Os muitos movimentos em Kururunfa incluem Tai Sabaki ou manobras evasivas e são muito rápido seguido por movimentos pesados (duro seguiu por macio) semelhante a Sesan e uma variedade larga de outros movimentos (muitas mão aberta) atacando e defendendo ou apanhando. Kururunfa também utiliza uma combinação coordenada com movimentos de quadril. Kururunfa ensina equilíbrio excepcional e transições de uma posição para outra. Este é o segundo mais alto de todos o Goju Ryu Kata

 

 

Suparimpei:

Suparinpei (o número 108 em chinês) tem uma significação especial em Budismo. Acredita-se que o homem tem 108 paixões más, e assim, em templos budistas no dia 31 de dezembro à meia-noite, um sino é tocado 108 vezes para afugentar esses espíritos. O número 108 de Suparinpei é calculado na forma de 36 X 3. O simbolismo do número 36 é determinado na explicação de Sanseru. O número 3 simboliza passado, presente e futuro. O número 3 também é significante em TODOS os aspectos de Goju Ryu claramente evidente em Kata Sanchin (três batalhas!).  

Suparinpei é um Kata original de Ryu Ru Ko Sensei .Visualmente é semelhante ao Kempo Kata do Dragão! Sua contraparte de Okinawan é Pecchurin, criado por Kenwa Mubini Shito Ryu e tem o mesmo padrão e quase os mesmos movimentos.  

Suparinpei é o número 108 em chinês e o próprio Kata às vezes é chamado ou traduzido assim;  

1. 108 mãos  

2. as 108 mãos finais  

3. 108 técnicas  

  Também é acreditado que Suparinpei pudesse estar em referência aos 108 homens que roubaram dos ricos e deram aos pobres, no ano de 1600 na China. Suparinpei é o mais longo Kata Goju Ryu  e o que contém mais aplicações e técnicas que qualquer outro Goju Ryu Kata. Pegadas (Kakie), Tenshin, Hayakunai, técnicas de Sabaki, fraturas, contramedidas ofensivas, e até mesmo tem dois chutes não vistos em qualquer outro Goju Ryu Kata. Muitas das técnicas neste Kata também podem ser vistas em Katas inferiores (Sesan e Sanseiru, etc…).